Líder iemenita quer que manifestantes sejam protegidos

O presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, ordenou hoje que as forças de segurança ofereçam "total proteção" a manifestantes contrários e favoráveis ao governo. A medida é tomada após confrontos deixarem pelo menos 15 mortos no país. "Ali Abdullah Saleh instruiu todos os serviços de segurança a conter qualquer confronto e evitar confrontação direta entre manifestantes pró e contra o governo", afirmou um comunicado oficial.

AE, Agência Estado

24 de fevereiro de 2011 | 09h52

O texto, divulgado pela agência estatal do Iêmen, exige que as forças de segurança garantam "proteção completa" a todos os manifestantes. Também pede aos manifestantes que "permaneçam vigilantes" contra pessoas infiltradas que buscam incitar a violência.

Dois manifestantes contrários ao governo foram mortos ontem em um ataque na capital do país, Sanaa. Com eles, subiu para 15 o número de mortos desde o início dos protestos contra Saleh, em 16 de fevereiro. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.