Líder iraniano diz que Islã está sob ataque

O Ocidente está atacando todo o mundo islâmico, e os conflitos ocorrendo no Afeganistão e nos territórios palestinos são os mais odiosos assaltos contra os muçulmanos, afirmou hoje o líder supremo do Irã. O aitolá Ali Khamenei disse a fiéis iranianos, durante um sermão nas orações de sexta-feira, em Teerã, que as questões "afegã e... palestina" são as mais "fundamentais... do mundo islâmico hoje". "Nos dois casos, tem sido testemunhado um assalto contra os muçulmanos", disse.O Irã, de maioria xiita muçulmana, é forte opositor do Taleban do Afeganistão, majoritariamente sunita. Apesar de ter apoiado a campanha liderada pelos EUA contra o terrorismo, o Irã não ofereceu bases militares ou abriu seu espaço aéreo para as forças americanas operando no Afeganistão. Khamenei afirmou que enquanto a situação política no Afeganistão está sendo resolvida, os americanos e britânicos têm "perpetrado atos que serão registrados como crimes de guerra inesquecíveis", "não demonstrando piedade pela vida daquelas pessoas - crianças, mulheres e velhos".O clérigo iraniano advertiu o Ocidente contra atacar outros Estados islâmicos, em particular o Iraque e a Somália, na campanha contra o terrorismo. "Eles (o Ocidente) estão dizendo que vão atacar a seguir outros países, e mencionam o Iraque e a Somália... sob o pretexto de lutar contra o terrorismo, mas na verdade eles querem garantir seus interesses", disse, num sermão transmitido pela rádio estatal.Khamenei criticou duramente a Grã-Bretanha, chamando o país de "subalterno da América" que tem "um vergonhoso histórico colonialista" no Oriente Médio, e condenou os EUA por apoiar Israel contra os palestinos. "Essas potências estão apoiando o maior aparato terrorista do mundo, chamado regime sionista... Se usar tanques para atacar residências não é terrorismo, o que será? Se atacar residências com mísseis lançados de aviões F-16 e helicópteros de combate não é terrorismo, o que será?" afirmou Khamenei."Os governos americano e britânico são parceiros nesses crimes e conjuntamente responsáveis", disse.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.