Líder iraquiano se opõe aos EUA e exige eleições diretas

Abdel-Aziz al-Hakim, um líder religioso muçulmano xiita que vem fazendo críticas abertas aos planos dos EUA para o Iraque, tornou-se o presidente do Conselho de Governo do país para o mês de dezembro e renovou sua exigência de que o legislativo de transição seja eleito diretamente pelo povo, idéia a que os americanos se opõem.A ascensão de Al-Hakim ao posto máximo permitido pelas autoridades de ocupação a um iraquiano poderá aumentar o atrito entre o Conselho e os EUA. Um acordo fechado em 15 de novembro com o chefe da administração americana no país, L. Paul Bremer, determina que convenções realizadas nas 18 províncias iraquianas selecionem os futuros parlamentares. Os americanos temem que uma eleição geral e direta permita que a legislatura seja ?seqüestrada? por radicais islâmicos ou figuras leais a Saddam Hussein. Segundo o plano dos EUA, o parlamento escolherá um governo provisório com plenos poderes, a partir de 1º de julho. Os iraquianos então elegeriam uma assembléia constituinte em um pleito marcado para 15 de março de 2005.Mas Al-Hakim insiste em eleições diretas já. ?A assembléia será eleita pelo povo iraquiano. É o que tentamos conseguir e é o que, se Deus quiser, acontecerá?, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.