Líder islâmico que ensina a bater em mulher é preso

Um clérigo muçulmano, condenado por incitar a violência contra mulheres, recebeu ordem da Justiça espanhola para comparecer a uma prisão a fim de cumprir a pena, que havia sido suspensa. Mohamed Kamal Mustafá, imã da mesquita do povoado andaluz de Fuengirola, recebeu ontem a decisão judicial que o obriga a cumpri 15 meses de prisão. Mustafá foi sentenciado em janeiro em Barcelona, mas sua pena foi suspensa porque ele era réu primário - uma prática comum na Espanha, quando as penas de reclusão são menores de dois anos. Mas o juiz Faustino Salmerón decidiu seguir o conselho dos promotores, segundo os quais a sentença deveria ser executada de imediato devido "ao perigo social" representado pelo imã. O caso foi gerado por um livro escrito pelo imã, intitulado Mulheres no Islã, no qual ele afirma que é aceitável espancar as mulheres, desde que não fiquem marcas. Mustafá, inclusive, ensina aos interessado as técnicas de bater sem causar hematomas.O imã disse que aceitará a decisão e se entregará à Justiça amanhã, segundo um porta-voz, embora tenha sublinhado que Mustafá considera a decisão "injusta" e insiste em afirmar que o juiz agiu sob pressão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.