Líder jihadista reaparece com mensagem para mobilizar militantes

Abu Bakr al-Baghdadi, autoproclamado califa do Estado Islâmico, fez o pedido por meio de uma declaração gravada em áudio

O Estado de S. Paulo

13 de novembro de 2014 | 20h02

BEIRUTE - Contrariando rumores de que havia sido ferido ou morto, o líder do Estado Islâmico (EI) fez um novo chamado às armas ontem, pedindo aos militantes do grupo extremista "vulcões jihadistas por toda parte", segundo uma organização que monitora o conflito. Ele ainda pede que os terroristas continuem lutando, mesmo que "reste apenas um soldado".

A organização, o SITE Intelligence Group, disse que o líder, Abu Bakr al-Baghdadi, autoproclamado califa, fez o pedido por meio de uma declaração gravada em áudio e publicada na rede.

O líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, pediu a realização de ataques na Arábia Saudita, disse que seu califado está se expandindo pelo mundo árabe e pediu por "vulcões de jihad (guerra santa)" em todo o mundo em um discurso feito supostamente em seu nome nesta quinta-feira.

Baghdadi disse ainda que uma campanha militar liderada pelos Estados Unidos contra seu grupo na Síria e no Iraque está fracassando. A Reuters não pôde verificar de forma independente a autenticidade do discurso, divulgado em sites jihadistas na Internet.

Na segunda-feira, um perfil falso do ministro de Relações Exteriores do Iraque, Ibrahim al Jaafari, dizia que o líder do EI teria sido morto em ataque da Coalizão Internacional, no sábado. Porém, o próprio Ministério negou a morte de Baghdadi, que teria sido transferido para a Síria após o bombardeio. / AFP e REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.