Líder norte-coreano estaria arrependido por teste nuclear

O líder norte-coreano Kim Jong Il expressou arrependimento a uma delegação japonesa, por teste nuclear realizado no país. O líder disse ainda que Pyongyang voltaria às negociações internacionais se Washington parar de fomentar uma campanha para isolar financeiramente o país, segundo informações de um jornal da Coréia do Sul desta sexta-feira. "Se os EUA fizerem uma concessão em algum grau, nós também faremos uma concessão em algum grau, independente se for para conversas bilaterais ou de seis partes", Kim teria dito ao enviado chinês, assim como relatou o jornal Chosun Ilbo, citando uma fonte diplomática na China. Kim disse à delegação chinesa que "ele lamenta pelo teste nuclear", informou o jornal.A delegação liderada pelo Conselheiro de Estado Tang Jianxuan se encontrou com Kim na quinta-feira e retornou a Pequim no mesmo dia - antes da chegada da secretária de Estado dos EUA Condoleezza Rice a capital chinesa nesta sexta-feira. A China é considerada um país-chave nos esforços para persuadir o Norte a se desarmar, já que é o principal parceiro comercial do país.A Coréia do Norte tem insistido há tempos que os EUA desistam da campanha para cortar as relações de Pyongyang com o sistema financeiro internacional. Washington acusa o Norte de cumplicidade na falsificação e lavagem de dinheiro. O país comunista se recusa, desde novembro de 2005, a retornar às negociações nucleares, que também incluem a China, Japão, Rússia e Coréia do Sul. Pyongyang procurou reforçar sua posição de negociação através de uma série de atos provocativos, como testando mísseis balísticos em julho, e realizando seu primeiro teste nuclear em nove de outubro deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.