Líder norte-coreano se compromete a não fazer novo teste nuclear

O líder norte-coreano, Kim Jong-il, prometeua um emissário chinês que a Coréia do Norte não fará um novo testenuclear, como o realizado no dia 9, que desatou uma criseinternacional, informou nesta sexta-feira a agência sul-coreana Yonhap. Fontes diplomáticas disseram à agência Yonhap, que Kim anunciouo compromisso durante sua reunião com o enviado especial chinês econselheiro de Estado para Assuntos Internacionais, Tang Jiaxuan,que esteve na Coréia do Norte nesta semana. Nos encontros com Tang, Kim mostrou sua disposição a um diálogomultilateral ou bilateral com os Estados Unidos sobre seu programanuclear, desde que Washington suspenda antes as sanções financeirasimpostas há um ano ao regime de Pyongyang. A notícia também foi publicada nesta sexta-feira pelo jornal sul-coreanoChosun Ilbo, que acrescentou que o líder norte-coreano mostrou aTang a vontade da Coréia do Norte de negociar. Kim assegurou ao diplomata chinês que a Coréia do Norte "estádisposta a ceder, se os EUA fizerem o mesmo". Neste caso, seriapossível se chegar a um acordo, tanto numa reunião bilateral, comono contexto das negociações multilaterais sobre o programa nuclearNorte-coreano. A exigência norte-coreana é que os EUA retirem as sançõesimpostas em setembro e outubro de 2005 a um banco de Macau e avárias instituições financeiras norte-coreanas por seu supostoenvolvimento em lavagem de dinheiro procedente do narcotráfico efalsificação de dólares para comprar componentes de armas. Nas conversas com Tang, o líder norte-coreano também teriaexpressado que lamenta o mal-estar que o teste nuclear causou entreos dirigentes chineses, que pediram insistentemente à Coréia doNorte que não realizasse o teste atômico. "Felizmente, minha visita desta vez não foi em vão", disse nesta sexta-feiraTang à secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, queconcluiu nesta sexta-feira em Pequim sua viagem asiática. Agora elairá a Moscou. Rice esteve ontem em Seul, aonde chegou procedente de Tóquio emuma viagem destinada a reforçar a imposição de sanções a Pyongyangem resposta ao teste nuclear do dia 9.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.