Líder opositor do Gabão se autodeclara presidente

Um líder oposicionista que ficou em terceiro lugar na eleição presidencial do Gabão em 2009 se autodeclarou presidente do país na noite de ontem e nomeou um governo paralelo com 19 ministros. O grupo liderado por Andre Mba Obame seguiu até a sede da Organização das Nações Unidas (ONU) com centenas de partidários e permaneceu no local durante a noite.

AE, Agência Estado

26 de janeiro de 2011 | 14h04

Obame ficou em terceiro lugar na eleição presidencial de agosto de 2009 que, segundo candidatos opositores, foi fraudada. A eleição especial foi convocada para a escolha do substituto de Omar Bongo, que morreu após 41 anos no poder. Ali Bongo, filho de Omar, foi declarado vencedor. Hoje o governo de Bongo dissolveu o partido da Unidade Nacional e declarou que Obame e seus aliados cometeram alta traição.

O presidente da União Africana, Jean Ping, condenou a ação de Obame. Em um comunicado, ele diz que as eleições de 2009 foram monitoradas por observadores internacionais. "O anúncio de Obame prejudica a integridade de instituições legítimas e põe em risco a paz, a segurança e a estabilidade do Gabão".

A decisão de Obame provavelmente é inspirada pelos eventos ocorridos na Costa do Marfim, onde o presidente Laurent Gbagbo se recusa a deixar o poder após perder as eleições para Alassane Ouattara. O oposicionista comanda um governo paralelo com sede em um hotel que está sendo protegido pelas forças de segurança da ONU. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
presidênciaoposiçãoBongoGabão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.