Líder opositora alemã vai aos EUA "sanar discórdia"

A líder da oposição conservadora da Alemanha viajará a Washington com uma mensagem: nem todos os alemães compartilham com Gerhard Schroeder a rejeição à guerra com o Iraque, e os herdeiros de Helmut Kohl querem sanar a amarga discórdia com os Estados Unidos.Numa viagem incomum para um político estrangeiro de oposição, Angela Merkel será recebida pelo vice-presidente Dick Cheney e pelo secretário de Defesa Donald Rumsfeld na segunda-feira, no início de uma viagem de quatro dias que também levará a líder democrata-cristã à sede da Organização das Nações Unidas (ONU).Com as pesquisas mostrando que a esmagadora maioria dos alemães não quer a guerra, os conservadores vêm tomando o cuidado de não aprovar explicitamente as pretensões belicistas dos EUA.Mesmo assim, eles acusam Schroeder de ter isolado a Alemanha, ao se opor a uma ação militar para desarmar o Iraque mesmo com o aval da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.