Líder palestino cobra ação dos EUA contra "crimes" de Israel

Numa rara crítica direta ao governo dos Estados Unidos, o primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina, Ahmed Korei, pediu intervenção internacional na crise árabe-israelense, referindo-se aos ataques aéreos realizados ontem por Israel contra áreas palestinas como ?crimes hediondos?.Korei disse que a falta de ação dos EUA é ?um sinal perigoso de que o governo americano pretende abandonar? seu papel nos esforços de paz.Hoje, um dia depois dos cinco ataques, israelenses e palestinos ofereceram versões diferentes sobre o mais letal deles, que causou a morte de sete pessoas. Segundo os palestinos, os sete eram civis e foram mortos por um míssil disparado de um helicóptero contra a multidão reunida no campo de refugiados de Nusseirat. Já o Exército israelense afirma que apenas militantes de grupos violentos foram mortos. O Exército divulgou um vídeo que mostra uma rua vazia na hora do ataque.O vídeo mostra a multidão se reunindo ao redor de um carro atingido por dois mísseis. Os militares dizem que há mais 10 minutos gravados que não foram divulgados. Uma declaração oficial da Segurança Palestina diz que foram três os mísseis disparados, e que os mortos foram vítimas do terceiro disparo, feito depois que a multidão já havia se reunido.Testemunhas dizem que os ocupantes do carro fugiram após o primeiro disparo, e que todos os mortos eram inocentes. Um repórter da Associated Press que chegou ao local pouco depois do ataque viu diversas pessoas aparentemente atingidas por estilhaços da explosão.Durante o funeral das vítimas, realizado hoje, palestinos gritavam por vingança contra o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.