Líder palestino é condenado à prisão perpétua

Marwan Barghouthi, líder da resistência palestina visto comopotencial sucessor do presidente Yasser Arafat, foi condenadohoje à prisão perpétua, por assassinato, por um tribunalisraelense. "A ocupação (israelense) vai acabar um dia. Ela estámorrendo", disse Barghouthi, de 45 anos, antes de o tribunal deTel-Aviv anunciar penas consecutivas de prisão perpétua poracusações de assassinato relacionadas à morte de cinco pessoasem ataques de militantes de sua facção, a FatahAntes de entrar na sala do tribunal e fazer o "V" da vitória comos dedos, Barghouthi, de 45 anos, foi cumprimentado e beijadopor parlamentares árabes-israelenses. Ele negou envolvimento nasemboscadas realizadas pelos militantes, mas foi condenado a outros20 anos por tentativa de assassinato e mais 20 por atividade num"grupo terrorista" - 165 anos no total - num julgamento quemobilizou o público e foi denunciado pelos palestinos como umespetáculo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.