Líder paraguaio diz que morte de Chávez foi um 'milagre'

O presidente do Paraguai, Federico Franco, considerou um "milagre" que Hugo Chávez "tenha desaparecido da face da Terra", segundo informou nesta quarta-feira a agência de notícias estatal IP Paraguay, citando jornais espanhóis.

AE, Agência Estado

04 de abril de 2013 | 00h07

Segundo a IP Paraguay, Franco assegurou que o ex-presidente venezuelano dava proteção a grupos criminais como o Exército do Povo Paraguaio (EPP), um pequeno grupo treinado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que pretende se tornar um movimento armado semelhante à guerrilha colombiana.

As declarações foram feitas durante as últimas reuniões na Espanha, onde Franco está em visita desde segunda-feira. Ontem, durante encontro com o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, foram normalizadas as relações entre os dois países, depois de o Paraguai ter sido vetado pela Espanha da Cúpula Ibero-americana em novembro do ano passado, sob a justificativa de que a deposição de Fernando Lugo do poder, em junho de 2012, tinha sido um golpe de Estado.

O líder justificou sua postura ao assinalar que o líder bolivariano causou "muito dano ao Paraguai". "O senhor Chávez, que descanse em paz, no momento em que estava vivo era o responsável do sequestro e da morte no país, causados pelo EPP."

Tudo o que sabemos sobre:
PARAGUAIFRANCOCHÁVEZ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.