Líder política é assassinada no Paquistão

A líder política paquistanesa Zara Yousuf Shahid foi assassinada na noite de sábado, 18, na porta de sua casa, no bairro de classe alta Defence, na cidade de Karachi. Zara é vice-presidente do partido reformista Movimento pela Justiça do Paquistão (PTI), liderado pelo ex-jogador internacional de críquete Imran Khan.

AE, Agência Estado

19 de maio de 2013 | 17h49

Zara foi morta por três homens armados que a atacaram no momento em que saía de casa, atingindo-a com dois tiros. Os motivos do crime ainda são desconhecidos, mas Khan culpou o partido rival e dominante na cidade, Movimento Muttahida Quami (MQM), pelo crime. O partido negou a acusação.

No último dia 11, a Liga Muçulmana do Paquistão-Nawaz (PML-N), do ex-primeiro-ministro paquistanês Nawaz Sharif, venceu as eleições gerais no país, assegurando o controle do Parlamento.

O PTI, do ex-astro do críquete Imran Khan, reconheceu mais tarde a vitória do PML-N. Sharif foi primeiro-ministro do Paquistão até 1990, quando foi deposto do cargo em um golpe militar liderado pelo general Pervez Musharraf.

Cerca de 150 pessoas morreram durante o processo eleitoral que reconduziu Sharif ao posto, a maioria delas em atentados reivindicados pelo movimento Taleban local.

O ataque contra Zara ocorreu numa zona residencial reservada, a mesma onde morava a ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto, assassinada em 2007 após regressar ao país para concorrer às eleições presidenciais. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãolíderassassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.