Líder pró-russo da Crimeia diz que tropas ucranianas estão se rendendo

Sergei Axionov promete acelerar votação de referendo sobre independência da região

O Estado de S. Paulo,

04 de março de 2014 | 11h11

SEVASTOPOL - O primeiro-ministro da Crimeia, Sergei Axionov, disse nesta terça-feira, 04, que a maior parte das tropas ucranianas na região autônoma de maioria russa se rendeu e prometeu lealdade a seu governo, em meio a uma crescente presença de tropas do Kremlin no local. Axionov prometeu convocar para o dia 30 deste mês um referendo sobre a independência da província.

Veja também:

linkInfográfico: raízes do conflito

linkBlog: carnaval alemão satiriza Putin

linkRússia ordena retorno de soldados em exercício militar

A jornalistas, o premiê disse que oficiais de seu governo controlam a situação de segurança na península, apesar da resistência de algumas unidades do Exército ucraniano hesitarem em se render, principalmente na base aérea de Belbek, em Sevastopol.

"Achamos que a situação ficará normalizada ao longo do dia de hoje", declarou Axionov em entrevista coletiva.

Segundo Axionov, o governo da república autônoma vai propor aos chefe das unidades militares ucranianas que se ponham às ordens da república autônoma, explicando que, aqueles que não estiverem de acordo, poderão deixar livremente o território da Crimeia.

O líder pró-russo também anunciou que convocará um referendo no próximo dia 30 de março para decidir o estatuto da cidade de Sebastopol, onde se encontra a Frota russa do Mar Negro.

Desta forma, segundo ele, a consulta sobre a ampliação da autonomia, prevista para esse mesmo dia, poderia ser adiada.

"Acho que o referendo (sobre a autonomia) vai acontecer antes de 30 de março. Hoje tomaremos a decisão e trataremos de conhecer a vontade da população o mais rápido possível para atuar de acordo com ela", disse Axionov, cuja autoridade não é reconhecida pelo governo central da Ucrânia. / NYT e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaCrimeiaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.