Líder qualifica OEA de ''lixo''

O líder cubano Fidel Castro afirmou ontem que Cuba não deseja voltar à Organização dos Estados Americanos (OEA), que ele qualificou de "infame" e "lixo". Em um artigo publicado ontem, Fidel respondeu às declarações do secretário-geral da OEA, Miguel Insulza, segundo as quais "Cuba deve expressar o compromisso com a democracia se quer voltar à organização". "Insulza afirma que, para entrar na OEA, Cuba tem primeiro de ser aceita pela instituição. Ele sabe que nós não queremos sequer escutar o infame nome", disse Fidel. Segundo ele, "a OEA tem uma história que recolhe todo o lixo de 60 anos de traição aos povos da América Latina''. Cuba foi excluída da OEA em 1962, dias antes de o então presidente americano, John F. Kennedy, ordenar o embargo contra o país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.