Líder quirguiz renunciou, diz membro do governo interino

Um integrante do governo interino do Quirguistão afirmou hoje que o presidente deposto do país renunciou ao cargo. Topchubek Turgunaliyev disse que Kurmanbek Bakiyev assinou um comunicado formal de renúncia. Turgunaliyev também informou que o ex-ministro da Defesa Bakyt Kalyev foi preso no sul do país quando tentava fugir.

AE-AP, Agência Estado

15 de abril de 2010 | 14h31

Bakiyev deixou hoje o país e foi para o vizinho Casaquistão, aumentando a esperança de que a turbulência na empobrecida ex-república soviética termine em breve. Turgunaliyev disse que o líder deposto estava acompanhado apenas de sua mulher e de dois filhos. Aparentemente seus outros parentes permaneceram no Quirguistão.

O integrante do governo interino afirmou ainda que o ex-ministro da Defesa foi acusado de ter ordenado que disparos fossem feitos contra uma multidão de manifestantes em Bishkek, no dia 7 de abril. Os manifestantes, então, invadiram prédios do governo. Pelo menos 83 pessoas morreram no episódio.

Após o anúncio sobre a renúncia, outro membro do governo, Almambek Shykmamotov, afirmou que há uma ordem de prisão contra os irmãos do líder deposto. Segundo ele, há uma operação especial em andamento no sul do país para prender os irmãos de Bakiyev. Um deles também havia sido acusado pela oposição de ter ordenado que se disparasse contra manifestantes em Bishkek.

Tudo o que sabemos sobre:
QuirguistãoBakiyevrenúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.