Líder quis desafiar rampa do Planato

Chávez mudou programação para mostrar saúde

O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2012 | 03h02

A pedido do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, o cerimonial do Palácio do Planalto viu-se obrigado a mudar toda a preparação da chegada oficial do líder venezuelano, para que ele pudesse subir a rampa do Planalto e, com isso, dar uma demonstração pública de que está bem de saúde e em plena forma física para enfrentar as eleições presidenciais de outubro.

A entrada do palácio, que estava toda cercada de grades para evitar a presença de manifestantes e garantir a segurança dos presidentes dos países do Mercosul, que estavam ontem em Brasília, precisou ser desarmada para que Chávez, em primeiro lugar, e depois, José Mujica, do Uruguai, e Cristina Kirchner, da Argentina, pudessem seguir seus passos.

Por conta da mudança de roteiro, Chávez chegou ao Palácio do Planalto com quase uma hora de atraso. O líder venezuelano e os demais presidentes seriam recebidos pelo cerimonial e pela porta lateral do Planalto. Com a mudança, ele subiu a rampa e foi recebido pessoalmente por Dilma Rousseff.

Na última vez em que esteve no Palácio do Planalto, em junho do ano passado durante visita oficial à presidente Dilma, Chávez entrou pela garagem, pois estava usando bengala e não tinha condições físicas de subir a rampa. Na ocasião, o presidente venezuelano estava sendo submetido a um rigoroso tratamento de um câncer na região pélvica.

Depois de passar por duas cirurgias e tratamento em Cuba, Chávez garantiu que está em condições de assumir novo mandato. / T.M. e L.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.