Líder rebelde pede que especialistas cheguem rápido

Investigações têm sido prejudicadas pelo acesso limitado ao local do acidente em meio ao conflito entre o governo e os rebeldes

Agência Estado

19 Julho 2014 | 11h06

O auto-declarado primeiro-ministro da República Popular de Donetsk, Alexander Borodai, pediu neste sábado que os especialistas internacionais destacados para investigar a queda do voo MH17 da Malaysia Airlines cheguem rápido ao local do acidente. Uma equipe multinacional está reunida em Kiev, na capital da Ucrânia, mas ainda não partiu para a volátil região de Donetsk, onde caiu a aeronave.

Borodai disse ter sido informado de que especialistas chegarão ao local na noite de domingo. "Os corpos estão ali, em decomposição...Há cães de rua e raposas em torno e também a possibilidade de um bombardeio do outro lado", afirmou o líder separatista. "Parece que eles querem tornar a investigação incompleta, impossível. Possivelmente é uma sabotagem", acrescentou.

As investigações têm sido prejudicadas pelo acesso limitado ao local do acidente em meio ao conflito entre o governo ucraniano e os rebeldes. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
UCRÂNIA ACIDENTE REBELDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.