Líder supremo do Irã acusa EUA de apoiar terrorismo

O aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do Irã, acusou os Estados Unidos de darem apoio ao terrorismo, citando os ataques de drones (aeronaves não tripuladas) no Paquistão e Afeganistão que mataram dezenas de civis. "Um país cujas forças militares são responsáveis por mortes como essas não pode ensinar ao mundo sobre combate ao terror", disse.

AE, Agência Estado

25 de junho de 2011 | 19h33

"Os EUA e os governos europeus que os seguem descrevem como terroristas os grupos palestinos que lutam pela liberdade de seu território", disse Khamenei em uma mensagem endereçada à Conferência Internacional sobre Combate ao Terrorismo, que começou hoje em Teerã. "Ao mesmo tempo", continua a mensagem, "ataques militares de Israel que atingem civis, ou os assassinatos de palestinos por agentes de segurança israelenses são atos não condenados pelas forças ocidentais como terroristas".

Khamenei ainda disse que o Irã foi vítima do terrorismo dos Estados Unidos, cujo navio de guerra USS Vincennes derrubou um avião de passageiros iraniano em 1998, matando todas as 290 a bordo. Na época, o Departamento de Defesa dos EUA disse que a tripulação do navio confundiu a aeronave com um avião hostil.

O líder iraniano advertiu o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, de que os EUA querem instalar bases permanentes no país. "Esta é uma questão séria. Não haverá segurança de fato caso os americanos se instalem no Afeganistão", disse ele.

Os EUA anunciaram a retirada de suas forças do Afeganistão até 2014 e até agora não anunciou projeto de ter bases permanentes no país. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEUAterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.