Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Líder terá legado vitorioso no esporte

Ao deixar o esporte, Scioli elegeu-se deputado facilmente, em um projeto do ex-presidente Carlos Menem de usar a popularidade de esportistas na política

Rodrigo Cavalheiro CORRESPONDENTE / BUENOS AIRES, O Estado de S. Paulo

01 de novembro de 2015 | 04h00

O governista Daniel Scioli cita frequentemente sua carreira como piloto de lancha, entre 1980 e 1997, para argumentar que sabe trabalhar em equipe, superar adversidades e se adaptar.

Scioli competiu na Europa, América Latina e EUA. Há controvérsia entre especialistas sobre a importância dos campeonatos que ganhou, mas consenso sobre a notoriedade que adquiriu no mundo esportivo.

Ao deixar o esporte, elegeu-se deputado facilmente, em um projeto do ex-presidente Carlos Menem de usar a popularidade de esportistas na política. Outro foi o ex-piloto de Fórmula-1 Carlos Reutemann, hoje aliado de Mauricio Macri, que também ganhou notoriedade graças ao esporte, como dirigente. Entre 1995 e 2008, comandou o Boca Juniors. O time obteve 11 títulos internacionais, entre eles 4 Copas Libertadores e 2 Mundiais. Tornou-se o presidente mais vencedor do clube. 

O Boca, time pelo qual torce também Scioli, foi razão de uma rara desavença entre eles. Em 2011, Scioli apoiou para o comando do clube um candidato rival ao que Macri apadrinhava. Macri questionou Scioli: “Por que você se mete no Boca?”. “Porque me pediram”, respondeu Scioli. 

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaDaniel ScioliMauricio Macri

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.