Líder Trabalhista britânico diz que não será o 'Red Ed'

O novo líder do Partido Trabalhista britânico, escolhido ontem para a posição, assegurou neste domingo que não forçará a agremiação à esquerda, apesar de ter angariado o apoio de sindicatos mais radicais para derrotar seu irmão em uma dramática convenção interna. Ed Miliband venceu por estreita margem seu irmão e ex-chanceler britânico David Miliband na votação ocorrida no sábado. Ed Miliband, de 40 anos, derrotou David, de 45, por uma margem de apenas 1,3 ponto porcentual.

AE, Agência Estado

26 de setembro de 2010 | 21h08

Os críticos chamam Ed Miliband de "Red Ed", ou "Ed Vermelho", e o acusam de querer tirar o Partido Trabalhista da plataforma centrista e amiga do empresariado adotada por Tony Blair e Gordon Brown e levar a agremiação para uma posição mais à esquerda no espectro político britânico.

"Não sou homem de ninguém. Cuido do meu próprio nariz. Sou muito claro quanto a isso", disse Miliband à BBC neste domingo, em sua primeira entrevista como líder do partido, ao assegurar que não será refém de quem o apoiou. Ele disse que não pretende promover uma guinada à esquerda, mas insistiu em que os trabalhistas abandonem os dogmas da era Blair e Brown e busquem posições que unam o partido ao invés de dividi-lo. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PolíticaLondres

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.