Líder trabalhista rejeita governo de unidade com Sharon

O líder trabalhista Amran Mitzna excluiu pela primeira vez, oficialmente, a possibilidade de seu partido aderir a um governo de unidade nacional presidido pelo atual primeiro-ministro e chefe do Likud, Ariel Sharon. "Não participarei de um governo sob o Likud, porque todos os governos do Likud foram um fracasso", disse Mitzna, dirigindo-se a estudantes de uma escola em Tel-Aviv.Mitzna não se oporia, no entanto, à inclusão do Likud em um governo por ele presidido. Pouco depois, o premier israelense respondeu ao líder trabalhista afirmando não acreditar "que haja alguém, entre os dirigentes trabalhistas, que se possa opor a um governo de unidade nacional em momentos em que os problemas do país são tão graves e a necessidade de unidade, tão grande". As pesquisas até agora indicam que o Likud deve vencer os trabalhistas nas eleições de janeiro próximo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.