Líder ultranacionalista sérvio vai se entregar à ONU

Um dirigente ultranacionalista sérvio e velho aliado do ex-presidente Slobodan Milosevic, acusado de crimes de guerra pelo Tribunal da ONU para a antiga Iugoslávia (TPI), viajará para Haia a fim de responder às acusações. De acordo com funcionários do Partido Radical Sérvio, Vojislav Seselj partirá para Haia no dia 24 de fevereiro. Recentemente, Seselj disse à imprensa que o TPI havia preparado acusações contra ele a fim de pedir sua extradição. Mesmo que as acusações não tenham sido confirmadas, Seselj parece querer atrair a atenção da mídia. Muitos na Sérvia pensam que o TPI esteja, de antemão, contra ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.