Líder vitorioso na Turquia fala contra guerra ao Iraque

O líder do partido vitorioso nas eleições turcas disse, nesta segunda-feira, ser contrário a uma eventual ofensiva militar norte-americana contra o Iraque, a não ser que haja aprovação por parte da Organização das Nações Unidas (ONU). "Não queremos guerra, sangue, lágrimas nem mortos em nossa região", declarou Recep Tayyip Erdogan, líder do Partido do Desenvolvimento e da Justiça, de raízes islâmicas. "Estamos comprometidos com as Nações Unidas. O importante para nós são as decisões no contexto da ONU", comentou Erdogan, durante a comemoração da vitória, no comitê central de seu partido. Erdogan manifestou sua esperança de que os Estados Unidos não ataquem o Iraque se não houver provas da existências das armas de destruição de massa, supostamente mantidas por Bagdá. "Nosso desejo é o de que tudo se resolva pacificamente." O apoio da Turquia é crucial para qualquer operação contra o Iraque. Este país-membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) abriga aviões norte-americanos na base aérea de Incirlik, no sul do país, de onde partiam as aeronaves para os ataques contra o Iraque durante a Guerra do Golfo. As declarações de Erdogan são parecidas com as de outros líderes turcos, contrários a um novo ataque contra o país vizinho. A Turquia teme que uma guerra desestabilize a região e abale ainda mais a já cambaleante economia do país. Segundo Erdogan, não existe consenso sobre a questão iraquiana "como existia no mundo para um ataque contra o Afeganistão. Até mesmo os Estados Unidos estão divididos quanto a isso".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.