Líder volta a adiar viagem por reforma da saúde

O presidente Barack Obama adiou mais uma vez sua viagem à Indonésia e Austrália por causa da votação da reforma do sistema de saúde. Prioridade doméstica do governo Obama, a reforma deveria ser votada na Câmara até hoje. Mas agora ficou claro que a legislação não será votada antes de domingo e Obama resolveu adiar sua viagem para junho. É a segunda vez que ele faz isso - antes, ele havia atrasado sua partida em alguns dias.

Patrícia Campos Mello, O Estadao de S.Paulo

19 de março de 2010 | 00h00

A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, espera que os deputados possam votar a legislação no domingo. Ontem, um passo essencial foi dado - o Escritório do Orçamento do Congresso divulgou seu relatório sobre os custos da lei, que ficaram dentro das expectativas.

A reforma vai custar US$ 940 bilhões ao longo de 10 anos, mas vai reduzir o déficit em US$ 138 bilhões no mesmo período e em US$ 1,2 trilhão em 20 anos. A economia viria da redução do crescimento das despesas do Medicare (assistência para idosos).

"O presidente lamenta ter de atrasar sua viagem, mas a aprovação da reforma do sistema de saúde é da maior importância e o presidente quer estar aqui na conclusão desta batalha", disse o porta-voz Robert Gibbs.

O plano atual é votar na Câmara a proposta de lei de reforma da saúde que foi aprovada no Senado em dezembro do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.