Líder xiita quer diretas no Iraque até o fim do ano

O mais respeitado clérigo xiita do Iraque disse que aceitará que um governo eleito de forma indireta receba o poder dos EUA em 30 de junho, caso a ONU garanta que eleições serão realizadas até o fim do ano. O comunicado do grão-aiatolá Ali al-Husseini al-Sistani indica que um acordo está em curso para que o fim da ocupação americana do Iraque ocorra no prazo pretendido por Washington.Tal acordo provavelmente envolveria um governo com poderes limitados assumindo em 30 de junho, com a missão principal de organizar uma eleição em conjunto com especialistas da ONU e dos EUA.Cabe agora às Nações Unidas, à autoridade de ocupação liderada pelos EUA e à liderança iraquiana decidirem como constituir tal governo de um modo que seja aceitável não só para a maioria xiita do país, mas também para os árabes sunitas, curdos, turcomanos e cristãos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.