REUTERS/Mohamed Nureldin Abdallah/File Photo e REUTERS/Tiksa Negeri/File Photo
REUTERS/Mohamed Nureldin Abdallah/File Photo e REUTERS/Tiksa Negeri/File Photo

Líderes africanos se reúnem pela primeira vez em 20 anos para dar fim à rixa histórica

Primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, e presidente da Eritreia, Isaías Afwerki, realizam encontro que pode restabelecer vínculos diplomáticos entre as duas nações

O Estado de S.Paulo

08 Julho 2018 | 05h36

ADIS ABEBA - Pela primeira vez em vinte anos, os líderes da Etiópia e da Eritreia se reuniram para uma cúpula neste domingo, 8, em Asmara. O encontro entre o primeiro-ministro etíope Abiy Ahmed e o presidente eritreu Isaías Afwerki pode dar fim à rivalidade entre as duas nações africanas, iniciada após a independência da Eritreia em 1993.

+ ANÁLISE: Grandes esperanças em um país que estava à beira do colapso

As primeiras imagens do encontro entre os dois líderes foram divulgadas pelas emissoras locais, que transmitiram a chegada do primeiro-ministro Ahmed à Asmara. Com abraços, os chefes de Estado se cumprimentaram antes de seguir viagem até a sede do governo eritreu. A cúpula foi anunciada no mês passado, após Ahmed aceitar um acordo de paz para dar fim à guerra de dois anos que ocorre na fronteira entre as duas nações. Além disso, o encontro também busca restabelecer os laços diplomáticos que deixaram de existir na década de 90 e acabar com a rivalidade mais duradoura na África.

"Nossas duas nações dividem uma história e uma ligação como nenhuma outra", afirmou o chefe de gabinete do primeiro-ministro da Etiópia, Fitsum Arega. "Nós podemos agora superar duas décadas de desconfianças e seguir em outra direção."

Em Asmara, a população local celebra o que consideram "o começo do fim" da disputa entre os países. Mais cedo, diversos manifestantes vestidos com camisetas com a imagem dos dois líderes aguardavam a chegada de Ahmad no aeroporto da cidade. 

+ Explosão durante comício na Etiópia deixa mais de 150 feridos

A decisão de se encontrar com o presidente eritreu foi a mais audaciosa medida anunciada pelo primeiro-ministro Ahmed, que tomou posso em abril e rapidamente iniciou uma série de reformas pelo país, incluindo a soltura de jornalistas e opositores que estavam presos. Além disso, o governo de Adis Abeba também tomou ação para incentivar as estatais do país.

Por sua vez, o presidente da Eritreia, Isaías Afwerki, afirmou que a oportunidade de encontro demonstra "sinais positivos" da Etiópia para "definir desenvolvimentos profundos" para o futuro. //ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.