Líderes condenam ataques na Índia e oferecem ajuda

Vários países condenaram hoje a série de ataques realizada ontem por extremistas em Mumbai, capital financeira da Índia. O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, telefonou se solidarizando com as vítimas e oferecendo ajuda ao primeiro-ministro Manmohan Singh. Pelo menos 104 pessoas morreram e mais de 300 ficaram feridas, segundo a polícia indiana. O pouco conhecido grupo Deccan Mujahedeen assumiu a autoria dos atentados.O presidente egípcio, Hosni Mubarak, condenou os ataques e disse que estava "ao lado de Nova Délhi no combate ao terrorismo". A Grã-Bretanha anunciou que está enviando policiais e uma equipe especializada em emergências para ajudar nas investigações sobre o caso, segundo o primeiro-ministro Gordon Brown. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, criticou os "covardes e odiosos" ataques.O papa Bento XVI também condenou os "ataques brutais" e pediu o fim dos atentados terroristas. Em Caracas para uma visita, o presidente russo, Dmitry Medvedev, também rechaçou a violência. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.