Líderes da América Latina declaram região 'zona de paz'

Líderes da América Latina e do Caribe assinaram nesta quarta-feira uma resolução declarando a região uma "zona de paz", com a promessa de solucionar suas disputas como vizinhos respeitosos, sem recorreram às armas.

AE, Agência Estado

29 de janeiro de 2014 | 15h41

A declaração conjunta foi divulgada em Havana, no dia de encerramento da reunião de cúpula Comunidade dos Estados da América Latina e do Caribe (Celac), que reúne todos os países das Américas, com exceção de Estados Unidos e Canadá.

A Celac foi fundada em 2011, concebida como um organismo de integração regional independente da influência de Washington.

Os líderes dos 33 países reunidos em Havana comprometeram-se com a não intervenção em assuntos internos de seus vizinhos, a cultivar a cooperação e a amizade e a "respeita o direito inalienável de cada Estado escolher seu próprio sistema político".

O texto da resolução foi lido pelo presidente de Cuba, Raúl Castro, anfitrião da reunião de cúpula da Celac.

Mais cedo, Raúl Castro, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e outros líderes latino-americanos participaram da inauguração de um museu dedicado à memória de Hugo Chávez. O falecido presidente venezuelano foi um dos principais proponentes da Celac. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaCelacAmérica Latinazona de paz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.