Líderes da oposição do Irã são presos

Sites afirmam que Mir Hossein Mousavi e Mehdi Karroubi teriam sido detidos; governo nega

BBC

28 de fevereiro de 2011 | 18h03

TEERÃ - Sites de oposição do Irã informaram nesta segunda-feira, 28, que os dois principais líderes oposicionistas no país, Mir Hossein Mousavi e Mehdi Karroubi, e suas esposas teriam sido levados para uma prisão por integrantes das Forças de Segurança iranianas.

Os dois haviam sido colocados em prisão domiciliar neste mês quando centenas de iranianos foram às ruas protestar contra o regime do presidente Mahmoud Ahmadinejad, em 14 de fevereiro.

 

O filho de Karroubi confirmou à BBC que seu pai foi levado de sua casa, mas disse não saber para onde. Também falando à BBC, um vizinho de Mousavi disse que viu veículos de Forças de Segurança na frente da casa do político na noite de quinta-feira.

Um site ligado a Mousavi afirmou que os dois homens estão sendo mantidos na prisão de Hesmatiyeh na capital do país, Teerã. Ambos já haviam sido presos anteriormente. No entanto, a agência de notícias iraniana Fars citou um integrante do Judiciário iraniano, não identificado, que negou os relatos. "Os dois estão atualmente em suas casas e sofrem restrições apenas de contato com pessoas suspeitas" disse ele.

As supostas prisões ocorreram antes de protestos planejados para ocorrer na quinta-feira. Mousavi e Karroubi haviam pedido neste mês o comparecimento de manifestantes em atos de apoio aos levantes na Tunísia e Egito. Depois, eles e suas esposas foram colocados em prisão domiciliar.

Milhares de simpatizantes dos políticos entraram em confronto com Forças de Segurança em Teerã. A oposição diz que 1,5 mil pessoas foram presas, mas o governo diz que este número não ultrapassa 150.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãMousaviKarroubioposição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.