Líderes da UE pedem reversão das tensões na Ucrânia

Os líderes da Grã-Bretanha, Alemanha e França concluíram que a recente ocupação de prédios do governo no leste da Ucrânia é ilegal e pediram que as partes envolvidas, em especial a Rússia, se esforcem para reverter a situação, informou hoje o governo britânico.

Agência Estado

14 de abril de 2014 | 14h13

No fim de semana, manifestações pró-Moscou se espalharam pelo leste ucraniano, com homens armados e vestidos com uniformes de estilo militar ocupando instalações do governo, num recrudescimento da crise que Kiev e Washington atribuíram à Rússia.

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, se reuniu mais cedo com a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente da França, François Hollande, para discutir a crise na Ucrânia, segundo comunicado de um porta-voz do governo britânico.

O porta-voz também comentou que ministros de Relações Exteriores da União Europeia podem acelerar a adoção de sanções contra autoridades da Rússia.

A UE congelou os bens e os vistos de um grupo de oficiais russos após Moscou ter anexado a região ucraniana da Crimeia, no mês passado, e alertou que pode adotar novas punições se a Rússia continuar desestabilizando a Ucrânia. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaUElíderes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.