Líderes da UE querem que asiático substitua Kofi Annan

Os líderes da União Européia e de 13países asiáticos concordaram, nesta segunda-feira, que o sucessor dosecretário-geral da ONU, Kofi Annan, que deixará o cargo emdezembro, será um asiático, informaram fontes do Governo italiano. Os líderes dos países-membros da UE tiveram uma discussãoinformal sobre este assunto com os dirigentes de Japão, China,Coréia do Sul, Brunei, Camboja, Laos, Indonésia, Malásia, Mianmar(Birmânia), Filipinas, Cingapura, Tailândia e Vietnã, durante a VIcúpula Asem (UE-Ásia), organizada pela Presidência finlandesa da UE. Segundo as fontes, os países da UE ainda não decidiram serespaldarão a candidatura do sul-coreano Ban Ki-moon, um dosFavoritos. Pela tradição de rotação geográfica, o novo secretário-geral daONU deveria ser asiático, já que os anteriores procediam da Europa(o austríaco Kurt Waldheim, de 1972 a 1981), da América (o peruanoJavier Pérez de Cuéllar, de 1981 a 1191) e da África (o egípcioButros Ghali, de 1991 a 1996, e o ganês Annan, a partir de 1996). No entanto, os EUA defendem que o sucessor de Annan deve ser umapessoa qualificada, não importa sua procedência. Na prática, a decisão sobre a nomeação está nas mãos dos cincomembros permanentes do Conselho de Segurança - EUA, Reino Unido,França, China e Rússia -, embora deva ser apoiada por 192 países daAssembléia Geral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.