Líderes das duas Coréias agendam reunião histórica

Encontro neste mês será o segundo já realizado entre os dois países, que teoricamente ainda estão em guerra

BBC Brasil, BBC

08 de agosto de 2007 | 04h58

A Coréia do Norte e a Coréia do Sul vão promover de 28 a 30 de agosto a segunda reunião já realizada até hoje entre os líderes dos dois países.O presidente sul-coreano, Roh Moo-hyun, deverá viajar a Pyongyang para se encontrar com o líder norte-coreano, Kim Jong-il.A primeira reunião entre líderes dos dois países ocorreu há sete anos, quando Kim Jong-il se encontrou com o então presidente sul-coreano Kim Dae-jung.A nova reunião ocorre apesar de os dois lados permanecerem tecnicamente em guerra - já que não foi assinado um cessar-fogo oficial no final da Guerra da Coréia, em 1953.Segundo o assessor de Segurança da Presidência da Coréia do Sul, Baek Jong-chun, a reunião foi acertada depois de duas viagens de agentes de inteligência sul-coreanos ao norte.Em uma declaração oficial, a Presidência da Coréia do Sul afirmou que o encontro "irá contribuir substancialmente para inaugurar a era de paz e prosperidade entre as duas Coréias."A agência de notícias oficial da Coréia do Norte divulgou um comunicado confirmando que um acordo foi assinado no último domingo."A reunião entre os líderes máximos do norte e do sul será de grande significado na abertura de uma nova fase de paz na península coreana", afirma a nota.Segundo o correspondente da BBC em Seul, Dan Griffiths, o presidente sul-coreano, que se aproxima do final de seu mandato depois de cinco anos de um governo impopular, espera se beneficiar do encontro, que poderá ser visto como um legado de seu governo.Essa reunião ocorrerá em um momento em que a Coréia do Norte tem melhorado suas relações com o resto do mundo, depois de concordar em desativar seu programa nuclear.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
coréiapyongyangseulKim Jong-il

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.