Líderes de conflito discutem cessar-fogo no Sudão do Sul

Líderes de ambos os lados de um conflito interno que já dura um mês no Sudão do Sul informaram neste sábado que estão perto de assinar um acordo de cessar-fogo. Também hoje, contudo, um porta-voz do exército revelou que as forças armadas do país recuperaram o controle da cidade de Bor, derrotando 15 mil rebeldes.

AE-AP, Agência Estado

18 de janeiro de 2014 | 13h45

Na Etiópia, onde as conversas estão em andamento, o negociador dos rebeldes, Mabior de Garang, afirmou esperar que o acordo seja assinado na noite deste sábado. Garang disse que o pacto determina um cessar-fogo e a libertação de prisioneiros políticos.

Em Juba, capital do Sudão do Sul, o porta-voz da presidência, Ateny Wek Ateny, declarou que acredita que o cessar-fogo seja anunciado entre domingo e segunda-feira. Ele acrescentou, entretanto, que a soltura dos indivíduos detidos não faz parte do acordo.

Os confrontos eclodiram em 15 de dezembro e se espalharam para todo o país, depois que uma unidade inteira do exército desertou. Acredita-se que milhares de pessoas tenham morrido no conflito. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SUDÃO DO SULACORDOCESSAR-FOGO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.