Líderes de protestos no México vão pedir asilo à Igreja

Os líderes da Assembléia Popular dos Povos de Oaxaca (APPO), que exigem a renúncia do governador do estado mexicano, Ulises Ruíz, disseram nesta quarta-feira que receberam ameaças, e por isso solicitarão "asilo político" à Igreja Católica.Os dirigentes se reunirão na noite desta quinta-feira com o arcebispo de Oaxaca, José Luis Chávez Botello, disse em entrevista coletiva Flavio Sosa, um dos líderes da APPO.A entidade surgiu em junho para apoiar uma greve de professores de Oaxaca e para pedir a renúncia de Ruiz, acusado de "repressor"."Há ameaças contra nós e nossas famílias, numa guerra suja. Decidimos pedir asilo em alguma instalação da Igreja, onde possamos realizar nossas atividades legais, que são pacíficas e que buscam uma solução para o conflito", disse Sosa.O conflito em Oaxaca deixou em cinco meses um saldo de pelo menos 11 mortos, entre eles o jornalista americano Bradley Roland Will. A Polícia federal ocupou a capital do estado no fim de outubro, mas a crise permanece.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.