Líderes de Sudão do Sul e Sudão negociam fronteira e petróleo

Os presidentes do Sudão e do Sudão do Sul tiveram nO sábado sua primeira reunião desde que os seus países quase foram à guerra em abril, dando esperançaS de um acordo negociado sobre petróleo e disputas fronteiriças antes do prazo de 2 de agosto estipulado pelo Conselho de Segurança da ONU.

AARON MAASHO, Reuters

15 de julho de 2012 | 09h39

O encontro cara a cara entre Omar Hassan al-Bashir e seu colega do sul, Salva Kiir, no hotel Sheraton na capital etíope de Addis Ababa, seguiu-se a uma sessão da União Africana na qual ambos se comprometeram com negociações pacíficas sobre o conflito.

Os dois se reuniram por mais de uma hora no hotel, primeiro com assessores e então para uma sessão de conversas privada.

"“Os dois presidentes concordaram e instruíram suas equipes a apressarem as negociações e desenvolverem decisões ousadas em áreas chave, assim como alcançar acordos em todas as questões", disse o negociador-chefe de Kiir, Pagan Amum, a jornalistas.

Os países, que formavam a maior nação da África subsaariana antes de o Sudão do Sul obter a independência no ano passado, enfrentam a ameaça de sanções do Conselho de Segurança da ONU a menos que resolvam pacificamente as disputas de fronteira, petróleo e outras antes do prazo de 2 de agosto.

Mais conteúdo sobre:
SUDAONEGOCIACOESLIDERES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.