Líderes defendem saída gradual de tropas do Afeganistão

Os líderes mundiais reunidos em Londres, hoje, concordaram com um cronograma para a entrega da segurança nas províncias afegãs, a partir do fim de 2010. No comunicado final do encontro, os líderes também se comprometeram com fundos para um plano com o objetivo de persuadir os militantes do Taleban a renunciar à violência - sem, contudo, oferecerem valores específicos.

AE-AP, Agencia Estado

28 de janeiro de 2010 | 14h56

Os membros do encontro apoiaram o plano do presidente afegão, Hamid Karzai, para reintegrar membros do Taleban que queiram "cortar os laços com a Al-Qaeda e outros grupos terroristas e buscar seus objetivos políticos pacificamente".

O texto prevê que a entrega da responsabilidade de segurança às tropas locais comece neste ano. Segundo o comunicado, o Exército afegão deve "conduzir a maioria das operações em áreas instáveis do Afeganistão dentro de três anos".

A conferência foi convocada para ajudar as potências mundiais a chegar a uma agenda para a retirada do Afeganistão. A guerra no país perde apoio público, enquanto sobe o número de vítimas.

As 70 nações reunidas afirmam, no texto final, que Karzai se comprometeu a enfrentar a corrupção. Um encontro mais tarde neste ano deve apresentar iniciativas específicas para fortalecer o governo afegão.

O texto afirma que as discussões em Londres marcaram "um passo decisivo rumo a uma maior liderança afegã para assegurar, estabilizar e desenvolver o Afeganistão".

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoconferênciatropassaída

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.