Líderes do G8 pedem que Khadafi deixe o poder

Rússia concorda que líder líbio perdeu legitimidade; grupo anuncia fundo para Egito e Tunísia.

BBC Brasil, BBC

27 de maio de 2011 | 14h12

Líderes do G8 (o grupo dos sete países mais ricos do mundo, mais a Rússia) pediram nesta sexta-feira ao final de seu encontro anual que o líder líbio, Muamar Khadafi, deixe o poder.

"Khadafi e o governo líbio fracassaram em sua responsabilidade de proteger a população líbia e perderam toda a legitimidade", diz um comunicado emitido pelos líderes na cidade de Deauville, no norte da França, onde foi realizada a cúpula de dois dias.

"Ele não tem futuro em uma Líbia livre e democrática. Ele deve partir."

O anfitrião do evento, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse que a campanha militar da Otan na Líbia seria intensificada e o premiê britânico, David Cameron, disse que o país enviará helicópteros Apache para reforçar o ataque às forças líbias.

"Estamos entrando em uma nova fase. Há sinais de que a pressão contra Khadafi está funcionando", disse Cameron.

Por sua vez, o presidente americano, Barack Obama, disse que os líderes estão "unidos na disposição de terminar o trabalho" na Líbia.

Rússia

A Rússia, país que vinha adotando postura critica sobre a campanha da Otan, disse concordar que Khadafi perdeu toda a legitimidade.

O presidente do país, Dmitry Medvedev, se ofereceu para mediar uma solução pacífica para o conflito, oferta elogiada por Sarkozy.

Por outro lado, o governo russo insistiu para que os presentes à Cúpula não anunciassem a possibilidade de novas sanções na ONU contra a Síria, caso o governo de Damasco continue a reprimir manifestantes pró-democracia.

Os líderes do G8 também anunciaram um programa de US$ 20 bilhões (cerca de R$ 32 bilhões) do Banco Mundial para apoiar as reformas políticas e econômicas no Egito e na Tunísia pelos próximos dois anos.

"A democracia pavimenta o melhor caminho para a paz, a estabilidade, a prosperidade, o crescimento compartilhado e o desenvolvimento", declararam os líderes após encontro com os premiês dos dois países árabes.

Sarkozy disse que países do Oriente Médio e do norte da África podem receber outros US$ 20 bilhões de países do Golfo Pérsico.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.