Líderes do mundo islâmico preparam conferência de cúpula

Altos funcionários encarregados da preparação da maior cúpula de lideranças islâmicas desde os atentados de 11 de setembro de 2001 se reuniram nesta sexta-feira na Malásia. As guerras no Afeganistão e no Iraque, a crise palestina e a guerra ao terrorismo estarão no topo da agenda da Organização da Conferência Islâmica (OCI). A OCI tenta se converter na voz única do Islã, religião que conta com 1,5 bilhão de fiéis em todo o mundo.Um dos objetivos da Organização é desvincular o islamismo da violência. Também existe uma frustração crescente com o fato de que os muçulmanos não estão à frente do debate de questões que lhes dizem respeito, como o destino do Iraque. Mais de trinta chefes de Estado dos 57 países-membros da OCI confirmaram presença na reunião dos dias 16 a 18 de outubro, a primeira desde 2000.No passado, a OCI teve dificuldade em atingir o consenso sobre a maioria das questões, exceto uma: apoiar os palestinos contra Israel. A Organização inclui países acusados de apoiar ou tolerar o terrorismo, como Síria e Irã; nações moderadas e quase seculares, como a Malásia; e aliados militares dos Estados Unidos, como o Catar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.