Líderes do Oeste Africano debatem força regional no Mali

Os líderes militares do Oeste Africano se reuniram na Costa do Marfim neste sábado para definir a missão de uma força regional que poderá ser enviada para o Mali para combater grupos armados que estão controlando o norte.

AE, Agência Estado

16 de junho de 2012 | 19h38

A Comunidade Econômica dos Estados da África do Oeste (Cedeao) disseram que uma força de 3 mil homens está preparada para entrar no Mali para ajudar o governo interino e tentar tomar de volta o controle da metade norte do país, agora controlada por rebeldes tuaregues e aliados da Al-Qaeda.

O Mali perdeu o território para os rebeldes na sequência caótica de um golpe no dia 22 de março na capital Bamako.

A força da Cedeao "estabilizará e consolidará" os poderes transitórios na capital e, junto com o exército do Mali, "se engajar na retomada do norte", afirmou o chefe do exército da Costa do Marfim, Soumaila Bakayoko, no início da reunião.

Ele acrescentou que a violência será apenas um último recurso, "após todas as tentativas de diálogo serem esgotadas".

A reunião ocorreu um dia depois de a Cedeao pedir ao Conselho das Nações Unidas para a apoiar a força.

Em uma entrevista que será publicada no Journal de Dimanche, no domingo, o presidente do Níger, Mahamadou Issoufou, pediu novamente para a ONU adotar uma resolução que apoie a intervenção militar no Mali e pare de "prolongar" o debate. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Maliforça regional

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.