Evan Vucci/ AP
Evan Vucci/ AP

Líderes do Senado chegam a acordo para pôr fim à paralisação do governo nos EUA

Republicanos e democratas no Senado concordaram em votar dois projetos separados que podem pôr fim à mais longa paralisação do governo dos EUA, segundo New York Times

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2019 | 21h43

WASHINGTON - Os líderes republicano e democrata no Senado concordaram em votar dois projetos separados que podem pôr fim à mais longa paralisação do governo dos Estados Unidos, que completou 31 dias nesta terça-feira, 22. 

Segundo o New York Times, um dos projetos é o apoiado pelo presidente Donald Trump, que inclui US$ 5 bilhões para a construção do muro na fronteira com o México – e deve ser rejeitado. O outro simplesmente estenderia o financiamento para agências fechadas até 8 de fevereiro – e teria chances de ser aprovado, segundo o jornal. 

O plano, um compromisso entre o senador Mitch McConnell, líder republicano no Senado, e Chuck Schumer, líder democrata, oferece o primeiro sinal de um caminho para a paralisação que deixou 800 mil servidores sem pagamento. 

Segundo analistas, mesmo com o acordo será difícil superar o impasse. A primeira proposta, apoiada por Trump, garante US$ 5,7 bilhões para o muro em troca de proteções de deportação para imigrantes e fundos para desastres. Os democratas no Congresso já rejeitaram a proposta. 

O outro projeto, apoiado pelos democratas, de liberar fundos para reabrir as agências até 8 de fevereiro, pode não ser assinado por Trump, mesmo com aprovação no Senado. Com a paralisação que já dura mais de um mês, servidores do governo federal estão recorrendo à prestação de serviço por aplicativo, como entregas e guias de turismo, para pagar as contas. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.