Líderes dos Bálcãs discutem destino da região

Líderes de vários Estados balcânicos reuniram-se nesta quinta-feira para estudar maneiras de promover a democracia e evitar que futuramente explodam conflitos étnicos no sudeste da Europa. No encontro regional, líderes de Albânia, Bulgária, Bósnia, Croácia, Romênia, Montenegro, Iugoslávia, Grécia e Turquia concordaram em trabalhar juntos mais intensamente para combater o crime organizado e melhorar o desempenho de suas economias. Esta foi a quinta reunião anual do Processo de Cooperação do Sudeste Europeu, um grupo fundado para promover a cooperação política e econômica na região. O presidente da Albânia, Rexhep Meidani, atual presidente do grupo, indicou que a energia e o crime organizado são os dois maiores problemas que a região enfrenta. A Albânia e outros países da região foram severamente prejudicados pela carência de energia neste ano - resultado de uma longa seca e da falta de investimentos. No inverno que neste momento está terminando na Europa, muitos albaneses ficaram sem eletricidade até 12 horas por dia. A Grécia e a Turquia, ambos membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), prometeram apoiar os esforços regionais para evitar futuros conflitos e fortalecer os laços econômicos e políticos. "A estabilidade e a segurança na Europa como um todo não pode ser alcançada e mantida se o sudeste do continente estiver mergulhado numa crise econômica e social", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Ismail Cem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.