Líderes dos Bálcãs parabenizam Montenegro por referendo

Líderes dos Bálcãs parabenizaram nesta segunda-feira o voto pela a independência de Montenegro, considerando a decisão mais um passo em direção à melhoria da região. No referendo de domingo, 55,4% dos eleitores votaram pelo fim da união de Montenegro com a Sérvia. Segundo a União Européia, para que a separação fosse aprovada, o grupo pró-independência deveria contar com um mínimo de 55% dos votos válidos."O resultado do referendo de domingo foi o ato final da dissolução da Iugoslávia", afirmou o primeiro-ministro de Kosovo, Agim Ceku, cuja província também quer independência da Sérvia. "Antes do final do ano, Kosovo irá se juntar a Montenegro como um novo Estado e estes novos países serão um importante fator de estabilidade para toda a região", acrescentou Ceku.Apesar de formalmente ainda pertencer à Sérvia, Kosovo está sob administração da ONU desde o bombardeio lançado pela OTAN em 1999 para encerrar os conflitos entre separatistas albaneses e o governo sérvio. A etnia albanesa, que corresponde a mais de 90% dos 2 milhões de cidadãos de Kosovo, exige independência, enquanto os sérvios querem que a província permaneça sob controle de Belgrado. O primeiro-ministro da Macedônia, Vlado Buckovski, também parabenizou o resultado da votação. "Ontem testemunhamos o fim do projeto Iugoslavo, que foi criado há muito tempo com boas intenções. Damos boas vindas à expressão da vontade dos montenegrinos", disse ele depois de uma reunião em Skopje com o premier croata Ivo Sander.Buckovski afirmou ainda que o resultado pode compelir a Sérvia a intensificar seus esforços para se integrar à União Européia, estagnados depois das tentativas fracassadas de capturar um suspeito de crimes de guerra, o general Ratko Mladic. Na vizinha Albânia, o primeiro ministro Sali Berisha também recebeu o resultado do referendo positivamente. "A decisão de domingo tornou nossa região mais livre, estável e segura no caminho para a integração Euro-atlântica". Ele também pediu ao governo de Belgrado para que aceite os resultados da votação.Nova apuração Contudo, os resultados do referendo não foram bem recebidos por todos. O bloco unionista, contrário à soberania de Montenegro, exigiu nesta segunda-feira que "os resultados preliminares do plebiscito de independência sejam revisados, e os votos emitidos contados novamente em todos os colégios eleitorais".Além disso, pediram a revisão da lista de cidadãos com direito a voto residentes no exterior, que foram à república balcânica para depositar sua cédula. O anúncio oficial do resultado final estava previsto para as 12h de Brasília desta segunda-feira, mas foi adiado de forma indefinida, porque a Comissão eleitoral de Montenegro ainda não tem todos os dados requeridos, anunciou uma porta-voz da comissão.Segundo fontes do bloco unionista, este grupo continua rejeitando o resultado do plebiscito, especialmente em algumas áreas habitadas por minorias muçulmanas e albanesas, onde o voto a favor da independência foi especialmente alto.De acordo com a lei eleitoral de Montenegro, a comissão presidida pelo diplomata eslovaco Frantisek Lipka deveria apresentar antes das 21h (16h de Brasília) os dados finais da consulta.A Organização para a Cooperação e Segurança na Europa (OSCE) confirmou que o plebiscito foi realizado segundo os "padrões da OSCE, do Conselho da Europa e segundo outros standards internacionais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.