Líderes europeus saem de férias

Paparazzi fazem a festa atrás de premiês e presidentes

Andrei Netto, PARIS, O Estadao de S.Paulo

12 de agosto de 2009 | 00h00

O poder está de férias na Europa. Todos os principais líderes do continente estão em licença ao mesmo tempo, no auge do verão europeu. O mês tem sido farto para os paparazzi especializados na cobertura das personalidades políticas na Europa. Dentre os chefes de Estado e de governo, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, parece ser o mais assediado, embora tenha abandonado o estilo exibicionista dos anos anteriores. O presidente hiperativo recupera-se do mal-estar sofrido durante um cooper em Versalhes. Ele passa uma temporada de três semanas em Cap Nègre, na residência da família de sua mulher, Carla Bruni. Flagrados em trajes de banho, o casal não parece ter paz em suas férias. Além da presença dos fotógrafos de revistas sobre personalidades, a agenda presidencial não para. Ontem, Sarkozy teria comandado por telefone as negociações com o governo de Teerã para tentar libertar a universitária Clotilde Reiss, presa durante os protestos pós-eleição de junho e acusada de espionagem.Em misto de férias e campanha eleitoral, a chanceler alemã, Angela Merkel, gasta sua folga no Tirol do Sul, na Itália, mesmo às vésperas de três eleições regionais, no dia 30, e do pleito legislativo - que decidirá seu futuro em 27 de setembro. "É uma tradição dos líderes alemães partir em férias mesmo em período eleitoral", explicou ao jornal francês Le Monde o cientista político Dietmar Herz, da Universidade de Erfurt.Com a popularidade em baixa após a série de escândalos sexuais, o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, faz das férias uma campanha de relações públicas. O premiê italiano escolheu uma residência em Abruzzi, na região de Áquila, destruída por um terremoto em abril, para descansar por uns dias. "Mais do que férias, é uma forma de supervisionar o andamento dos trabalhos", afirmou, antes de partir. Optando pela discrição e austeridade após o escândalo das notas frias no Parlamento britânico, o primeiro-ministro Gordon Brown trocou Londres por Kirkcaldy, seu distrito de origem, próximo da região dos lagos na Escócia. Ao longo de um mês, o premiê britânico, acompanhado da mulher, Sarah, e dos filhos John, de 6 anos, e Fraser, de 3, terá tempo de rearticular sua estratégia para enfrentar a crise econômica, o desgaste do Partido Trabalhista e o favoritismo do conservador David Cameron nas eleições previstas para 2010.Dos líderes das grandes potências da Europa, o premiê russo, Vladimir Putin, voltou a ser o menos discreto e retomou os programas "selvagens". Mostrando o físico, Putin, de 56 anos, não pareceu se importar com as câmeras fotográficas que o cercavam durante uma cavalgada na região de Touva, na fronteira com a Mongólia. Envolvidos por desafios internos na Europa - como o plebiscito sobre o Tratado de Lisboa, na Irlanda -, Sarkozy, Merkel, Brown e Berlusconi, além de Putin, terão no retorno das férias um compromisso em comum: a reunião do G-20, em Pittsburgh, nos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.