Anna Moneymaker/The New York Times
Anna Moneymaker/The New York Times

Líderes militares nos EUA estão em quarentena após um oficial testar positivo para a covid-19  

Maior autoridade militar do país, general Mark Milley, e outros membros do comando tiveram contato com um oficial da Guarda Costeira que testou positivo para o coronavírus; Milley está trabalhando de casa

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2020 | 15h51

WASHINGTON - A maior autoridade militar dos Estados Unidos, o general Mark Milley, e vários outros membros do comando do Pentágono estão em quarentena após terem tido contato com um oficial da Guarda Costeria, o almirante Charles Ray, que testou positivo para o novo coronavírus na segunda-feira. "Ray foi testado após apresentar sintomas leves no fim de semana", informou um comunicado da Guarda Costeira. 

O porta-voz do Pentágono, Jonathan Hoffman, disse que Ray participou de reuniões do Departamento de Defesa na semana passada. Vários militares do alto escalão que participaram da reunião agora estão em quarentena. "Entre as pessoas que participaram das reuniões estão os chefes de Estado-Maior", afirmou Hoffman.

Todos aqueles que estiveram em contato com o almirante Ray "foram colocados em quarentena e testados esta manhã". "Nenhum de seus contatos no Pentágono mostrou quaisquer sintomas e não temos nenhum teste positivo ainda", acrescentou o porta-voz. 

Como precaução, Milley, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, está trabalhando de casa, segundo uma fonte da Defesa. Até agora, ele testou negativo para o coronavírus. Como principal conselheiro militar do presidente Donald Trump, ele mantém um espaço para comunicação completamente sigiloso em sua casa, explicou a fonte. 

O chefe de gabinete da Força Aérea americana, Charles Brown, o chefe das Operações Navais, almirante Michael Gilday, e o chefe das Operações Espaciais, general John Raymond, também estão trabalhando de casa.

Hoffman disse que não há mudança na resposta ou na capacidade das Forças Armadas dos EUA. Segundo ele, o Departamento de Defesa segue as diretrizes de saúde pública desde abril, incluindo a verificação de temperatura corporal e o uso de máscaras quando o distanciamento social não é possível. / COM AFP e W.Post 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.