Líderes muçulmanos acusados de ligação com terrorismo

O governo argelino abriu uma investigação sobre uma possível ligação de pregadores muçulmanos com uma rede terrorista com ramificações no Iraque, informou neste sábado o Ministério para Assuntos Religiosos. As primeiras informações foram dadas na semana passada, na província de Kenchela, onde várias pessoas acusaram um grupo de religiosos de envolvimento numa rede de apoio a grupos terroristas. O Departamento de Assuntos Religiosos da província emitiu um desmentido. Mas o Ministério informou que vai examinar as acusações a partir de uma lista de pregadores supostamente implicados, elaborada pelo órgão. O jornal El Jabar noticiou a distribuição de livros religiosos considerados extremistas e discos digitais elogiando o Grupo Salafista para a Pregação e o Combate (GSPC), a mais ativa organização terrorista islâmica argelina.

Agencia Estado,

04 Novembro 2006 | 05h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.