Líderes mundiais condenam terrorismo em escola russa

Lideranças de todo o mundo expressaram horror sobre o desfecho sangrento da crise de reféns em uma escola da Rússia, dizendo que o ataque bárbaro contra crianças mostra que os terroristas desceram a um nível ainda mais baixo. Alguns especialistas alertam que a guerra russa na Chechênia irá se transformar na nova encruzilhada do terrorismo internacional.Mensagens de solidariedade e manifestações de choque derramaram-se a partir de capitais de todo o mundo, enquanto o impasse de três dias convertia-se numa batalha entre tropas russas e terroristas chechenos que mantinham mais de mil reféns. "Não há razão imaginável que possa justificar tomar crianças, bebês e suas mães como reféns", disse o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Joschka Fischer. O presidente dos EUA, George W. Bush, referiu-se à ocupação da escola como "mais um lembrete sinistro do ponto a que os terroristas chegarão para ameaçar o mundo civilizado".A França, que enfrenta uma crise de reféns, com dois jornalistas capturados no Iraque, pediu que "todos se mobilizem na luta contra o terrorismo". O governo francês informa que está pronto a atender a qualquer pedido de ajuda da Rússia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.