Líderes mundiais desejam melhoras a Fidel Castro

Os presidentes de Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e Argentina, Néstor Kirchner, e o Nobel de Literatura Gabriel García Márquez foram algumas das personalidades que desejaram ao presidente cubano, Fidel Castro, uma rápida recuperação, informou neste sábado o jornal oficial Granma. A lista inclui também líderes do México, Venezuela, Chile e Líbia. Fidel, de 78 anos, foi operado na quinta-feira para reconstituir o joelho esquerdo, fraturado numa queda na véspera. Enquanto isso, o presidente do Parlamento cubano, Ricardo Alarcón, denunciou em Havana o embargo imposto pelos Estados Unidos ao arquipélago comunista, qualificando a medida - em vigor há mais de quatro décadas - como um "genocídio". As declarações de Alarcón foram feitas durante uma manifestação para chamar a atenção para uma votação na Organização das Nações Unidas para condenar as sanções. Ainda neste sábado, a televisão estatal cubana anunciou a morte de Rosa Elena Simeon, ministra da Ciência, da Tecnologia e do Ambiente de Cuba. Ela faleceu na noite de ontem, aos 61 anos.

Agencia Estado,

23 Outubro 2004 | 14h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.