Líderes mundiais reúnem-se em ambiente de desarmonia

A Primavera Árabe e a tentativa da Palestina de tornar-se membro da ONU espalharam esperança na última Assembleia Geral da ONU, em 2011. Mas o ambiente do encontro dos líderes mundiais deste ano é de frustração, causado por eventos como a guerra civil na Síria, o insucesso da proposta palestina e os protestos violentos gerados por um filme que denigre o Islã. A presidente Dilma Roussef discursará na abertura da sessão de debates do evento, na terça-feira, às 11h (horário de Brasília).

AE, Agência Estado

24 de setembro de 2012 | 12h42

Mais de 120 presidentes, primeiros-ministros e monarcas reúnem-se durante esta semana sob forte segurança na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. O secretário-geral da entidade, Ban Ki-moon, prevê que a sessão ministerial, que começa na terça-feira, será uma das mais movimentadas de todos os tempos.

Antes da sessão de abertura, da qual o presidente Barack Obama também discursará, Ban Ki-moon convidou líderes para a primeira reunião de alto nível nesta segunda-feira, que discutirá o Estado de Direito.

Outras questões importantes que serão discutidas nos bastidores são as tensões com o programa nuclear do Irã e a possibilidade de Israel realizar um ataque preventivo contra o país, a atuação da Al-Qaeda no oeste da África e o declínio da ajuda internacional para combater a pobreza. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUAssembleia Geral

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.