Líderes nos EUA ainda buscam acordo sobre pacote

Os principais negociadores da Câmara dos Representantes e do Senado dos Estados Unidos estão reunidos desde 16h (de Brasília) de sábado (27) em Washington para tentar resolver os detalhes finais do pacote de socorro de US$ 700 bilhões para Wall Street, com o objetivo de que um acordo final seja anunciado até 18h (de Brasília) de domingo (28), horas antes da abertura dos mercados da Ásia. Líderes democratas e republicanos reconhecem que a eventual votação do pacote poderá ficar até mesmo para segunda-feira.O líder da maioria democrata do Senado, Harry Reid, em uma aparição no plenário do Senado, disse que existe apenas um "punhado de questões" que ainda persistem para os legisladores finalizarem um acordo. Ele afirmou ter esperança de que o Congresso e a administração do presidente George W. Bush possam, no mínimo, divulgar um rascunho do plano de socorro até a noite de domingo, com o intuito de enviar uma mensagem tranqüilizadora para os mercados acionários em todo o mundo. Senadores republicanos de peso disseram estar fazendo bons progressos. "A meta será anunciar um acordo amanhã (28) e ter uma votação na segunda-feira", disse o senador Mitch McConnell, líder republicano no Senado norte-americano."Não vamos nos mover sobre qualquer tipo de cronograma artificial. Estamos nos movendo em direção à melhor solução no período mais curto de tempo que podemos ter para a melhor das soluções", disse o deputado republicano Roy Blunt. Os deputados republicanos estão pressionando por uma solução mais orientada pelo mercado, que teria o governo como garantidor das dívidas podres dos bancos de Wall Street e as manteria em mãos privadas ao invés de serem compradas pelo Tesouro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.